fbpx

Outubro Rosa

Outubro Rosa
3 de outubro de 2017 alphajorstudio

Celebrado em todo mundo o movimento chamado de Outubro Rosa surgiu nos anos 90, nos Estados Unidos, onde vários Estados norte-americanos faziam ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro.

O laço cor-de-rosa, símbolo do Outubro Rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e dado aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990. Outras entidades, engajadas na mesma luta, começaram a comemorar e promover ações voltadas a prevenção do câncer de mama, inclusive promovendo desfiles de moda, eventos esportivos, enfeitando prédios públicos e monumentos com laços rosas e iluminação rosa, dando visibilidade a causa.

A repercussão foi tão significativa que o Congresso norte-americano aprovou que o mês de Outubro entrasse para o calendário nacional americano como o mês de prevenção ao câncer de mama.

Anos mais tarde a popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo, motivando e unindo diversos países em torno da luta, tornando a iluminação rosa e o laço rosa símbolos compreendidos em qualquer lugar no mundo.

Por que é importante comemorar o Outubro Rosa?

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), só no ano passado houve um registro de 57.960 casos de câncer de mama, que quando diagnosticado precocemente tem 98% de chances de cura. No Outubro Rosa são promovidas mutirões de mamografias e ações; para conscientizar e incentivar as mulheres a fazerem o autoexame, o que é primordial para detectar a doença em estágio inicial.

Mesmo sendo o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil (28% dos casos novos a cada ano), e ainda que sendo uma condição rara, a doença também pode ser desenvolvida por homens (1% do total de casos).

No Brasil existe a lei de 60 dias [12732/12] que dá o direito ao cidadão de começar o tratamento oncológico gratuitamente pelo Sistema único de Saúde (SUS), no prazo de 60 dias da data do diagnóstico da doença, garantindo chances maiores de cura.

Os grandes desafios enfrentado por quem desenvolve a doença é ter acesso ao diagnóstico, acesso ao tratamento com qualidade e no tempo oportuno. Por isso, é importante começar com uma simples ação: o autoexame.

Como fazer o autoexame das mamas

– No banho ou deitada:
Coloque a mão direita atrás da cabeça.
Deslize os dedos indicador, médio e anelar da mão esquerda suavemente em movimentos circulares por toda mama direita.
Repita o movimento utilizando a mão direta para examinar a mama esquerda.

– Diante do Espelho:
Inspecione suas mamas com os braços abaixados ao longo do corpo
Levante os braços, colocando as mãos na cabeça. Observe se ocorre alguma mudança no contorno das mamas ou no bico.
Repita a observação, colocando as mãos na cintura e apertando-a. Observe se há qualquer alteração.
Finalmente, esprema o mamilo delicadamente e observe se sai qualquer secreção.
Qualquer mudança nas mamas é motivo para investigar mais a fundo, porém, é bom salientar que alterações na pele ou no bico do seio, aparecimento de nódulos ou espessamentos, e de secreções mamárias, não significa necessariamente a existência de câncer, mas serve como alerta para procurar a ajuda de um mastologista (médico especialista em mamas).
O câncer de mama tem cura, tudo começa com a prevenção!

 

Autor:
Izabel Martins

Fontes:
www.pink-october.org
Instituto Brasileiro de Controle do Câncer – IBCC
Instituto Nacional do Câncer – INCA
Instituto Neo Mama de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*