fbpx

Desvendando mitos sobre a doação de sangue

Desvendando mitos sobre a doação de sangue
21 de julho de 2017 alphajorstudio

Desvendando mitos sobre a doação de sangue

A Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu em 2004, que no 14 de Junho seria comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue.

Uma data cheia de simbolismos, pois foi criada como forma de agradecimento a todos os doadores de sangue do mundo e também homenageia o prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina, Karl Landsteiner, que nasceu neste dia.

Landsteiner foi o responsável pela descoberta dos sistemas de grupos de sangue A, B e O. Sem suas pesquisas, observando as aglutinações e formações de grânulos entre as combinações de diferentes tipos sanguíneos, não seriam possíveis as transfusões de sangue bem sucedidas e nem o primeiro teste de paternidade (determinada pelo tipo sanguíneo).

Todos os anos OMS lança, nesta data, campanhas e eventos, visando sensibilizar as pessoas sobre a importância de doar sangue e incentivar novos doadores.

Hoje no Brasil 1,8% da população doa sangue. Embora o percentual esteja dentro dos parâmetros recomendados pela OMS, que pede que pelo menos 1% da população seja doadora de sangue, a intenção é aumentar o número de doadores de sangue, uma vez que o sangue não pode ser fabricado em laboratórios, não há substituto para ele, que pode ser usado para diversas finalidades, como tratamento de pessoas com doenças crônicas, alguns tipos de câncer, transplantes, cirurgias, acidentes ou outras situações que precisam de transfusão.

Desvendando mitos sobre a doação de sangue:

Doar de sangue não transmite doenças, nem para o doador e nem para quem recebe. Hoje em dia, os controles laboratoriais são rigorosos e todo o material de coleta é estéril e descartável.

Todos os tipos de sangue são aceitos. Mesmo que o estoque do hemocentro não esteja no vermelho, são aceitos doações de todos os tipos sanguíneos, afim de garantir sempre a disponibilidade a quem mais precisa.

Pode-se doar sangue mais que uma vez por ano. Homens podem doar até 4 vezes ao ano em intervalos de 2 meses e mulheres até 3 vezes, em intervalos de 4 meses.

Pessoas com tatuagem podem doar sangue. Após o período de 6 meses da realização da tatuagem.

Benefícios associados a doação de sangue:

  • Reduz do risco de doença cardíaca
  • Reduz do risco de câncer (diminuindo níveis de ferro)
  • Check-up gratuito e possibilidade de salvar até 3 vidas numa única doação.

Seja solidário e doe sangue. Veja como é simples e fácil!

  • Basta ter entre 16 e 69 anos (menores precisam de autorização dos responsáveis).
  • Pesar no mínimo 50 quilos e estar em bom estado de saúde.
  • Deve estar descansado no dia da doação (pelo menos 6 horas de sono).
  • Estar bem alimentado (mas evitar comer comidas gordurosas 4 horas antes).
  • Não ter ingerido bebidas alcoólicas (nas 12 horas anteriores à doação).
  • Não fumar (até 4 horas antes da doação).

Procure pelos hemocentros e hospitais próximos a sua casa, e não esqueça de levar um documento de identidade com foto.

Quem doa sangue pode salvar vidas, seja você também um doador.

Por: Izabel Martins
Fontes: OMS, Ministério da Saúde e Fundação Pró-sangue SP.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

19 + 7 =